Bolsonaro nega ter acusado Dilma por morte de americano

Além do arquivamento da interpelação da OAB, Jair Bolsonaro também pediu ao STF para rejeitar ação de Dilma Rousseff que busca acusá-lo de calúnia.

A ex-presidente exigiu explicações sobre uma recente insinuação de que ela teria assassinado o capitão americano Charles Chandler, em outubro de 1968.

“Fui genérico. Isso
porque referida declaração não teve destinatário certo e específico, mas a segmentos políticos de esquerda de um modo geral. Não me dirigi à Interpelante ou a qualquer sujeito determinado ou concretamente determinável. Fiz um discurso político, nada mais, sem qualquer conteúdo ilícito”, escreveu ao STF.

Em maio, quando visitou Dallas, Bolso aro lamentou a morte do americano e disse:

“Quem até há pouco ocupava o governo teve em sua história suas mãos manchadas de sangue na luta armada, matando inclusive um capitão.”

Aliança Toffoli-Bolsonaro: Lava Jato deve ser maior prejudicada. LEIA AQUI
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 63 comentários
TOPO