Bolsonaro rebate ditadura cubana: “A mamata acabou”

Telegram

Miguel Díaz-Canel, sucessor do ditador cubano Raúl Castro, usou o Twitter para criticar o que chamou de “submissão” do governo brasileiro à gestão de Donald Trump.

Horas depois, Jair Bolsonaro respondeu a Díaz-Canel e criticou o programa Mais Médicos.

“O ditador cubano recebeu um bilhão de reais do Brasil, pelo trabalho de 10 mil ‘profissionais da saúde’, que viviam em condições semelhantes à escravidão”, afirmou.

Bolsonaro enquadra os generais. CONFIRA

“A mamata acabou, agora esses recursos serão utilizados para nossa saúde com o programa Médicos para o Brasil.”

Comentários

  • leda -

    Quanta nobreza e humanidade na cooperação cubana. Quando Bolsonaro foi eleito saíram fugidos na calada da noite...

  • VITOR -

    Concordo. Dilma tinha que estar na cadeia não só por isso, mas por todo o "conjunto da obra". É só ver o estado em que ela deixou o país. Só por isso já tinha que estar presa.

  • VITOR -

    Pode esperar sentado. Eles não têm dinheiro nem para si próprios.

Ler 179 comentários