ACESSE

Bolsonaro "tomou cloroquina como se fosse comercial de margarina"

Telegram

A bióloga Natalia Pasternak, que sempre alertou para o engodo da cloroquina (leia aqui e aqui), disse na GloboNews:

“O que dá para dizer com certeza é que a hidroxicloroquina que ele tomou em público, como se fosse em um comercial de margarina, não vai fazer diferença. A cloroquina não tem nada a ver. Nós já temos dados suficientes para saber que a cloroquina não tem benefício no tratamento dessa doença. Mas sabemos que ela traz certo risco cardíaco, que, na idade do presidente, não deveria ser negligenciado. Então vamos torcer para pelo menos a cloroquina não fazer mal para ele.”

Ela disse também:

“A live do presidente tomando a cloroquina, apesar de não ter comprovação médica, pode ser um convite à automedicação. As pessoas veem o presidente tomando e dizendo que está se sentindo bem e podem querer se automedicar. Isso é muito perigoso. Nem todo mundo tem atendimento médico tão acessível quanto o presidente ou pode fazer um eletrocardiograma de prevenção. Como, aliás, o presidente deveria fazer, porque é idoso e está tomando cloroquina. É bastante preocupante.”

 

Leia mais: A guinada de Bolsonaro para ficar no poder

Comentários

  • Carlos -

    ele está fazendo dois eletrocardiogramas por dia. igualzinho ao resto do povo brasileiro.

  • TANIA -

    É inacreditável que pessoas que enxergavam o fanatismo cego dos defensores do antigo governo não consigam se enxergar na mesma e infeliz situação. Bolsonaro é medíocre e desonesto. É um erro.

  • Cerone -

    Laméntavel. Só mentiras

Ler 141 comentários