Braço direito de Nuzman deixa prisão

O ex-diretor de operações do Comitê Rio-2016, Leonardo Gryner, deixou na manhã deste sábado a Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, na zona norte do Rio de Janeiro.

O juiz Marcelo Bretas revogou na sexta-feira a prisão temporária do braço direito do ex-presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman, alegando que o risco de Gryner “exercer o seu poder de influência em detrimento das investigações” se dissipou após a apreensão da caixa de e-mail de Maria Celeste de Lourdes Campos Pedroso, secretária de Nuzman, já em poder da Justiça.

Nuzman e Gryner são considerados os principais elos entre o esquema de propinas do então governador Sérgio Cabral e membros africanos do COI, que teriam vendido seus votos para a escolha da sede olímpica.

Comentários temporariamente fechados.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Ler mais 7 comentários
  1. Esse juiz está querendo ser capa da revista Forbes. Homem rico. A quantidade de grana que deve estar rolando para ele soltar bandidos deve ser assustadora. Quanto vale a liberdade do Cabral juiz ?

  2. Começa assim mesmo. Primeiro o braço direito, depois o esquerdo, depois uma perna, depois a outra com uma tornozeleira eletrônica e, no final, estarão em suas mansões prisionais.