Brahma sem Brahma

O dono da Brahma quer que o Brahma se reúna com Fernando Henrique Cardoso.

Ele disse, segundo a Folha de S. Paulo:

“Tem de se unir por algumas coisas, [dizer:] vamos conversar que é importante”.

Jorge Paulo Lemann não esclareceu quais seriam essas “coisas”. Ele previu, porém, que o governo de Dilma Rousseff está para acabar:

“Acho que o PMDB vai saltar fora desse governo daqui a pouco. Aí que as coisas vão acontecer”.

As “coisas” sobre as quais Brahma e FHC devem conversar, portanto, só podem estar ligadas à formação de um novo governo.

Jorge Paulo Lemann também elogiou a Lava Jato:

“Eu gosto dos promotores públicos no Brasil que estão lidando com a corrupção. É um grupo pequeno de pessoas que tem um efeito multiplicador tremendo”.

Esse grupo pequeno de pessoas está prestes a denunciar o Brahma por corrupção. É exatamente por esse motivo que a conversa entre ele e FHC não pode ocorrer. O Brahma é contagioso.