ACESSE

Brasil alcança a França em número de mortes por milhão de habitantes. E agora, bolsonaristas?

Telegram

Até pouco tempo atrás, os bolsonaristas usavam a estatística de mortes por milhão de habitantes,  ainda relativamente baixa no Brasil, para dizer que o isolamento social não só não funcionava para conter a Covid-19, como até mesmo agravava a transmissão da doença, uma vez que essa proporção era muito maior nos países europeus que haviam decretado lockdown.

Pois bem, com os óbitos registrados hoje, segundo o Worldometers, o Brasil igualou-se à França, uma das nações da Europa mais atingidas pela pandemia — temos 463 mortes por milhão de habitantes, contra 464 naquele país.

A diferença é que, na França, a pandemia está controlada já faz dois meses, enquanto no Brasil continuamos a ter mais de mil óbitos por dia, num platô terrível que as pessoas confundem com estabilidade reconfortante e os governantes usam como pretexto para reabrir o que nunca foi inteiramente fechado. Ou seja, as mortes por milhão de habitantes ainda vão aumentar dramaticamente. Na comparação com os Estados Unidos, por exemplo, a diferença agora é de apenas 28 óbitos. Vamos superar também, e rapidamente, o resultado da irresponsabilidade americana.

Parabéns a todos os envolvidos. “Vem dando certo até o momento”, como diz o sociopata.

Leia mais: Sócios no desastre: a responsabilidade dos governadores na pandemia. Clique aqui para ler mais

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 150 comentários