Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Brasil já atingiu quase 600 mil mortes por Covid, diz estudo sobre subnotificação

Brasil já atingiu quase 600 mil mortes por Covid, diz estudo sobre subnotificação
Ilustração: Fusion Medical Animation/Unsplash

O Brasil já teve 595 mil mortes por Covid, cerca de 45% a mais do que o registrado oficialmente. A conclusão é de estudo divulgado nesta quinta (6) pelo Instituto de Métricas e Avaliação de Saúde (IHME) da Universidade de Washington.

O instituto concluiu que a subnotificação é um problema no mundo inteiro, e que o mundo já teve ao todo 6,9 milhões de mortes por Covid, mais que o dobro das somas das estatísticas oficiais.

Entre as razões para a subnotificação, estão a escassez de exames e o número de mortes que ocorrem em casa ou em casas de repouso, fora dos hospitais.

Até o fechamento do estudo, o Brasil registrava oficialmente 408.680 mortes por Covid. Hoje, o Painel Coronavírus do Ministério da Saúde registra 414.399 mortes.

No estudo, o IHME comparou o número de mortes que eram esperadas de todas as causas baseando-se em tendências antes da pandemia com o número total de mortes durante a pandemia.

Esse excesso de mortalidade foi ajustado para remover as mortes que não podem ser atribuídas à doença – como pessoas sem Covid que evitaram serviços de saúde – e mortes que foram evitadas pela pandemia, como a redução nas mortes por acidentes de trânsito.

Especificamente sobre o Brasil, o estudo diz que “há claro e significativo registro tardio de mortes desde junho de 2020. Neste caso, marcamos os dados do sistema de estatísticas vitais como ‘outliers’ [dados muito diferentes dos outros dados observados] e optamos por usar dados do sistema de registro civil”. 

Em janeiro deste ano, dados da Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen-Brasil) já registravam um aumento de 8,6% no número de mortes totais no Brasil em 2020, comparado a 2019.

Leia mais: Assine a Crusoé, a publicação que fiscaliza TODOS os poderes da República.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO