Bresser-Pereira odeia a realidade

Os ricos nutrem ódio ao PT.

A frase é de Luiz Carlos Bresser-Pereira, entrevistado hoje na Folha de S. Paulo.

O pensamento completo é o seguinte:

“Surgiu um fenômeno que eu nunca tinha visto no Brasil. De repente, vi um ódio coletivo da classe alta, dos ricos, contra um partido e uma presidente. Não era preocupação ou medo. Era ódio. Esse ódio decorreu do fato de se ter um governo, pela primeira vez, que é de centro-esquerda e que se conservou de esquerda. Fez compromissos, mas não se entregou. Continua defendendo os pobres contra os ricos. O ódio decorre do fato de que o governo revelou uma preferência forte e clara pelos trabalhadores e pelos pobres. Não deu à classe rica, aos rentistas”.

Bresser-Pereira é um homem coerente. Ele era orgulhoso de sua patetice trinta anos atrás e continua orgulhoso agora.

Sua passagem pelo ministério da Fazenda durante o governo Sarney, em 1987, é recordada sobretudo pelo congelamento dos salários. Sabe como é: a melhor maneira para defender os pobres é congelar seus salários enquanto o custo de vida está subindo 366%.

Bresser-Pereira é recordado também por ter assumido o ministério da Fazenda num momento em que o PIB crescia 6,69% e por ter sido demitido, oito meses mais tarde, com o PIB em queda de 0,13%.

Os pobres nutrem amor a Bresser-Pereira.

Bresser-Pereira sempre nutriu ódio pela realidade

Faça o primeiro comentário