Bumlai e o “molusco cefalópode”

Os advogados de José Carlos Bumlai escreveram a Sérgio Moro, de acordo com O Globo, que o seu cliente não nega que se “envaidecia por gozar da companhia e da confiança” de Lula, então presidente da República e com “índices altíssimos de popularidade”, pois o pecuarista é “um ser humano, de carne e osso”.

O documento contradiz Lula, segundo o qual Bumlai era amigo dos seus filhos, e não seu.

Mas não é só isso. Os advogados do pecuarista também afirmaram nas alegações finais do processo que:

“A partir de provas de irregularidades na Petrobras, o nome do peticionário (Bumlai) voltou a aparecer nas manchetes como se fosse ele a isca perfeita para se conseguir fisgar o peixe (ou melhor, o molusco cefalópode) que muitos queriam — e ainda querem — na frigideira.”

Para O Antagonista, é uma admissão de que o “molusco cefalópode” precisa ser fisgado e colocado na frigideira.