Bumlai, Lulinha e Luleco na mesma sala

O Antagonista já havia publicado quase 200 posts sobre José Carlos Bumlai antes de sua prisão hoje. Dois desses posts revelam que o amigo de Lula abriu o escritório da Usina São Fernando para os filhos do então presidente da República.

Uma empresa de Fabio e Luis Cláudio funcionou na mesma sala da São Fernando, que é alvo da “Operação Passe Livre” por ter desaparecido com meio bilhão do BNDES.

Lulinha e Luleco dividiam a sala com Bumlai. Será que vão dividir a mesma cela?

Revejam nossos posts:

Baiano, você não encontrou Lulinha e Luleco?

Brasil 13.11.15 18:20

No depoimento de Fernando Baiano, que publicamos ontem, o delator diz que foi falar com José Carlos Bumlai em seu escritório no edifício Office Brigadeiro, número 3530, conjunto 61, em São Paulo.

Lá estava abrigada a sede administrativa da Usina São Fernando, que recebeu quase R$ 500 milhões em recursos do BNDES – dinheiro que ninguém mais viu. No mesmo endereço funcionava a LLCS Participações, de Fábio Luis e Luis Claudio Lula da Silva.

O Antagonista sugere à força-tarefa da Lava Jato que pergunte a Baiano se ele, por acaso, não cruzou por lá com Lulinha e Luleco. Aliás, se Baiano queria aproximar Paulo Roberto Costa do PT podia falar diretamente com os filhos do dono.

Era conta conjunta?

Brasil 13.11.15 18:42

Vamos repetir: a Usina São Fernando, que embolsou R$ 500 milhões do BNDES e depois quebrou, funcionava no mesmo endereço da LLCS Participações, dos filhos de Lula.

Mais uma vez: a empresa de José Carlos Bumlai que conseguiu do BNDES, sem garantias, meio bilhão de reais dividia a sala com a empresa dos filhos do presidente da República que mandava no BNDES.

Se eles dividiam telefone, mesa, cadeira e até o cafezinho, será que dividiam também a conta bancária?

Faça o primeiro comentário