Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Butantan admite ter escolhido Serrana sem edital para projeto de vacinação

"Não houve um certame de seleção (...) e nem precisaria haver", escreveu Dimas Covas
Butantan admite ter escolhido Serrana sem edital para projeto de vacinação
Foto: Governo do Estado de São Paulo

O diretor do Butantan, Dimas Covas, admitiu que a cidade de Serrana foi escolhida sem edital para o projeto de vacinação em massa.

A informação consta de ofício encaminhado nesta segunda (21) em resposta a pedido de O Antagonista via Lei de Acesso à Informação.

“[N]ão houve um certame de seleção para a escolha do município, e nem precisaria haver”, escreveu Covas.

Reprodução/Butantan/via Lei de Acesso à Informação
O projeto de vacinação em massa em Serrana foi anunciado pelo Butantan pela primeira vez em 6 de fevereiro. A imunização na cidade para o projeto começou no dia 17, mesmo dia em que a vacinação contra a Covid no Brasil completou um mês.

O chamado “Projeto S” (que o Butantan jura ser de “secreto” e não de “Serrana”) virou uma bandeira da instituição e da Coronavac, e tem até sua própria conta no Instagram (@projetoserrana).

No fim de maio, Covas e João Doria apresentaram os resultados preliminares da vacinação em Serrana em coletiva de imprensa, com presença de vários veículos estrangeiros. Aos repórteres, o governador disse: “As mortes caíram 95%, as internações recuaram 86%, e os casos sintomáticos foram reduzidos em 80%”. E acrescentou: “A pandemia foi controlada em Serrana”.

O Butantan nunca deixou claro por que escolheu Serrana entre os 645 municípios paulistas. Em seu site, alegou que a cidade, por exemplo, “precisaria ser um município pequeno”, sem definir o tamanho. Pelos dados do IBGE, Serrana tem hoje cerca de 45 mil habitantes.

O Butantan também publicou que o município deveria “estar próximo ou conter um centro de pesquisa”, sem definir até qual distância máxima, em quilômetros, ainda considera “próximo”.

No ofício a O Antagonista, Dimas Covas basicamente repetiu os mesmos critérios, novamente sem números ou métricas que permitam a comparação com outras cidades.

Reprodução/Butantan/via Lei de Acesso à Informação
“Nessa linha, o município em questão foi escolhido por reunir dentre outro (sic), os fatores adrede emunerados, e, basicamente, por apresentar números elevados de casos da Covid-19 comparados a todos os municipios do Estado”, acrescentou o diretor do Butantan.

Reprodução/Município de Serrana (SP)
O Antagonista também pediu à prefeitura de Serrana, via Lei de Acesso à Informação, documentos que envolvam a seleção da cidade para participar do Projeto S. O prazo de 20 dias para a prefeitura responder expirou ontem (20).

O prefeito de Serrana é Léo Capitelli (MDB).

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO