Cabral calado em audiência com Bretas

Sérgio Cabral ficou em silêncio na sua audiência de hoje com Marcelo Bretas, na qual responderia a perguntas sobre a Operação Ponto Final.

A defesa do ex-governador do Rio, condenado a quase 200 anos de prisão, alegou que ele não tinha nada de novo a relatar.

Leia em Crusoé:

Cabral calado

Até o general Hamilton Mourão já comentou a história do ex-motorista de Flávio Bolsonaro CONFIRA AGORA

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 24 comentários
  1. Cada vez que vemos gravações deste pária falando contra a corrupção, fazendo aquela cara de raiva, nos perguntamos se pra estes casos, de genocídio, não poderíamos fuzilar por traição este l

  2. Este genocida deveria ser fuzilado! Por quem temos que pagar pela comida dele? Mandem ele pra Roraima quebrar pedra pra poder comer, ele e aquela coisa que é a mulher dele! MOURÃO NELES!!!🇧🇷

  3. Uma duvida:Ele vai ficar 200 anos preso? Pelo menos 100? Só pode cumprir 30, mas será solto bem antes. Ele nem esquenta a cabeça com mais condenações. No Brasil, o crime para muitos, compensa.

    1. Pode ser que tenhamos a sorte dele se suicidar, então não vamos precisar pagar pela comida dele! No caso dele, é absurdo, eu sei mas deveriam torturar até ele dizer onde está o resto do $ MOURÃO

    2. Mas, se sair, até fora do Brasil tem gente querendo “pegar” ele. Ou você acha que os bandidos são amigos um dos outros? Sem grana ele não passa de um inútil! A justiça que nem pense em soltar

  4. Falar o quê. Há momentos que o silêncio é a melhor palavra. Mesmo porque o Cabral não precisa mais ser julgado, é só cumprir as sentenças prolatadas. 180 anos é demais para um coração aflit

    1. Pode ser que tenhamos a sorte dele se suicidar! Então não vamos precisar pagar pela comida dele! Eu chego ao cúmulo de pensar, que no caso dele, deveriam torturar até dizer onde está o resto do $

  5. Bretas: o senhor não vai falar? Cabral: não. Bretas: é a oportunidade que o sr tem de falar no processo. Cabral: (silêncio). Bretas (apontando o dedo): o senhor peidou. Cabral (chorando) eu nãooo