Cabral pagava jóias com dinheiro vivo

A diretora comercial da H. Stern disse à PF que levava jóias, anéis e pedras preciosas à casa de Sérgio Cabral, que pagava em dinheiro vivo.

O Estadão reproduziu seu depoimento:

“Chegou a vender jóias no valor de até R$ 100 mil a Sérgio Cabral, tais como anéis de brilhante ou outros tipos de pedras preciosas, sendo o pagamento ainda que em tais quantias realizado em dinheiro. Os atendimentos feitos pela declarante a Sérgio Cabral sempre foram feitos no interior da residência deste; que, os atendimentos eram agendados com a declarante por Carlos Miranda ou algum outro/a secretário/a de Sérgio Cabral; que, a declarante nesses encontros na casa de Sérgio Cabral levava joias de amostragem, as quais eram selecionadas ou não pelo próprio Sérgio Cabral ou por sua esposa”.

Faça o primeiro comentário