CADÊ O PETISTA?

A investigação do “rachid”, que aperta o senador Flávio Bolsonaro, até agora não deu em nada para o petista André Ceciliano, embora seu gabinete na Assembleia esteja no topo da relação de movimentações suspeitas, diz a Crusoé.

Segundo o antigo Coaf, atual Unidade de Inteligência Financeira, quatro assessores de Ceciliano movimentaram 49 milhões de reais, quarenta vezes o valor de 1,2 milhão atribuído a Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio.

Leia a reportagem completa aqui.

Comentários

  • Cezar -

    O problema da extrema-imprensa é o Queiroz e o Flávio. Ilícito é ilícito, mas existe o senso de proporção que é solenemente esquecido.

  • Carlos -

    Pois é...está pegando mal pra caramba. O povão já percebeu a preferência do MP/imprensa e está tirando conclusões.

  • NICOLINO -

    Está desproporcional esse negócio. Claro que a artilharia mira em quem está no poder mas o roubo petralha, da forma como está, parece que nem aconteceu. TODOS DEVEM PAGAR!

Ler 137 comentários