Caixa dois ou propina?

O Estadão, em editorial, diz que “as delações dos executivos da Odebrecht não diferenciam os políticos que receberam doações eleitorais legais daqueles que receberam propina para favorecer a empreiteira.

Tudo ganha contornos ainda mais confusos quando as delações atribuem a quase todos os políticos agraciados apelidos jocosos, que induzem a imaginá-los todos como bandidos, desses que carregam alcunhas reveladoras de seus traços criminosos”.

O próprio Estadão confunde caixa dois com propina, como se viu na manchete de hoje sobre os 30 milhões de reais para bancar o estelionato eleitoral de 2014.

A Lava Jato demonstrou que Lula e Dilma Rousseff agiram em conluio com a Odebrecht, saqueando a Petrobras em troca de dinheiro clandestino para as campanhas do PT.

E mais: os “apelidos jocosos” dados pela Odebrecht não tinham o propósito de confundir o público, e sim de esconder a identidade daqueles que receberam dinheiro ilegal.

Faça o primeiro comentário