A caixa-preta de Pimentel

Em novembro de 2014, após a reeleição de Dilma, o acrônimo Fernando Pimentel defendeu enfaticamente o nome de Joaquim Levy para a Fazenda.

“Joaquim Levy é um cidadão, um economista, que já passou pelo governo, é um homem público de trajetória reconhecida, uma pessoa íntegra, correta, eu conheço há muitos anos. Eu não tenho nenhum reparo a fazer à sua pessoa”, disse.

O amigo de José Dirceu na corte de Bolsonaro. Saiba mais AQUI

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 33 comentários
  1. Com tanto caráter, tanta honradez, tão íntegro, tão correto, grande economista…. com um currículo desse naipe seria, realmente, inadmissível que o Levy pudesse se manter numa ORCRIM. Fica Levy

  2. Inocente útil à causa. Para o PT, ,era uma opção tática: Coloca-se um nome palatável e segue o jogo… Não deu certo para o Levy, PT e Brasil. Levy foi e é criticado por tentar fazer o certo

  3. É um risco muito grande colocar amigos dos INIMIGOS para ocupar pastas importantes no governo de Bolsonaro. Existem outros nomes de profissionais tão o mais qualificados do que o Levy. Não aprovo.

  4. O P Guedes q conheci no antigo Pactual, de gênio nada tinha. Estava mais para aprendiz de lobista do que economista. Não fosse as ‘porralouquices’ de Cezar e o pé no chão de André Jacurski… s

  5. Não sei, neste caso fico atrás da moita, ele é judeu conhece bem os meandros econômicos, a questão de eu trabalhar com picaretas também não me transforma em um picareta, ainda mais em cargo de

  6. Se for apenas um técnico, se nada pesar contra ele, não é porque os petistas o elogiaram numa época em que não havia mais quadros para ajudá-los no governo que ele se torna um bandido.Aguardando

    1. ahuahuhauhuahuhuahua. Temos que pressionar o Bolso a “jogar pesado” com o Levy. “meu filho, aqui é liberalismo sem rabo preso, quero que voce devasse o BNDES, talquei?”