Caju no cacho

Vale lembrar o que disse Michel Temer, em nota, quando Romero Jucá se licenciou do Ministério do Planejamento, em maio, depois de vazarem os áudios em que o senador fala em “estancar a sangria”.

“Conto que Jucá continuará, neste período, auxiliando o governo federal no Congresso de forma decisiva, com sua imensa capacidade política.”

Chamado de “ministro oculto” nos bastidores, a verdade é que “Caju”, de fato, nunca deixou de ser homem forte do governo Temer — hoje, foi confirmado na liderança no Senado.

Temer afirmou, ainda, que o senador ficaria longe dos holofotes “até que fossem esclarecidas as informações divulgadas pela imprensa (sobre o “estancar a sangria”)”.

E já foram?

Jucá é alvo de dois inquéritos no STF.

Faça o primeiro comentário