Câmara desiste de prisão de Danilo Gentili, mas quer expulsão do Twitter

Câmara desiste de prisão de Danilo Gentili, mas quer expulsão do Twitter
Foto: Alan Santos/PR

A Câmara dos Deputados apresentou nova manifestação ao Supremo sobre Danilo Gentili. Desta vez, desistiu do pedido de prisão do humorista, mas defendeu a proposta de Augusto Aras de proibi-lo de usar as redes sociais.

A decisão cabe a Alexandre de Moraes.

O pedido de prisão foi feito em fevereiro, quando os deputados discutiam proposta que aumentava a blindagem dos parlamentares.

Em meio à votação, Gentili postou a seguinte mensagem no Twitter:“Só acreditaria que esse País tem jeito se a população entrasse agora na câmara e socasse todo deputado que está nesse momento discutindo PEC de imunidade parlamentar”.

A Câmara pediu a prisão por “ameaça à segurança” dos deputados e ao “livre exercício das atividades” do Parlamento. Gentili apagou o post e depois publicou uma retratação.

Nesta semana, a PGR opinou no Supremo pela inclusão dele no inquérito dos atos antidemocráticos, que investiga bolsonaristas que pregam o fechamento do Congresso. Disse, porém, que, como ele se retratou, não é necessária mais a prisão. Basta tirá-lo das redes.

A Câmara concordou.

“As respostas contra as ameaças democráticas hão de se impor de maneira imediata. É preciso um esforço coletivo dos poderes constituídos para tolher a seiva autoritária capitaneada por setores ainda saudosistas de nossa assombrosa experiência ditatorial”, afirmou, em nova manifestação enviada ao STF.

“O intuito do senhor Danilo Gentili Júnior é cristalino: incitar o ódio e instigar a população a subverter a ordem político-constitucional, em clara afronta aos princípios democráticos e republicanos”, diz outro trecho do documento.

Sobre a prisão, disse que o “mea culpa” de Gentili “afastam, a priori, o flagrante de outrora”.

Leia mais: Assine a Crusoé, a revista que tem coragem de fiscalizar TODOS os poderes
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO