Campanha mais curta: os significados

A campanha eleitoral de 2016, no primeiro turno, terá apenas 35 dias, em vez de 45, informa o UOL.

Isso é bom porque, teoricamente e com boa dose de otimismo, as campanhas ficarão mais baratas e, portanto, a pixulecagem por fora e por dentro tenderá a diminuir. Isso também é bom porque teremos de aguentar por menos tempo aquele blá-blá-blá insuportável na TV e no rádio.

Nossa terceira observação: como, a princípio, haverá menos chance para viradas, é provável que as campanhas fiquem mais duras — seja para o lado da mentira, como para o da verdade. O problema, no Brasil, é que a mentira tem vencido mais do que a verdade.

Faça o primeiro comentário