Candidata líder das pesquisas no DF promete novos estádios

À TV Globo, Eliana Pedrosa, do PROS, que lidera as pesquisas ao governo do Distrito Federal, disse que, se eleita, vai construir novos estádios de futebol.

“Temos cidades nossas [do DF] que não têm um estádio de futebol.”

Sim, a candidata ousa fazer essa promessa para eleitores que já tem que engolir o Mané Garrincha, a arena mais cara do Brasil e alvo de uma série de investigações de corrupção.

Eduardo Pedrosa, irmão de Eliana, já foi presidente de um clube do DF e, em 2012, disputou o comando da Federação Brasiliense de Futebol. O cidadão já foi preso provisoriamente, em 2004, durante a Operação Vampiro, que desmantelou uma quadrilha que manipulava compras de medicamentos em troca de propina no Ministério da Saúde. Em 2015, voltou a ser preso por não pagar pensão alimentícia.

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 72 comentários
  1. Por essas e outros que penso em votar no tal Alexandre Guerra ou anular. O GDF está PÉSSIMO de cabdidatos! Rollemberg, Fraga, Rosso e a Eliana são péssimos candidatos. Deus nos livre!!

  2. O que esperar para o Brasil quando se vê candidaturas como essa ? A política virou cabide de emprego, pessoas sem condições de exercer por total falta de qualificação, é uma banalização desco

  3. Não dá para entender a cabeça do eleitor do DF? Que coisa mais louca! Para presidente o JB é majoritário e para governador uma tresloucada como esta é majoritária, dá para entender isto?

  4. Além de fruto de corrupção, o nomeado estádio Mané Garrincha, como é sabido, não abriga um jogo sequer com algum sucesso de público … imaginem vários estádios na mesma região geopolítica

  5. Após constatar tantos criminosos e pessoas ligadas a criminosos estarem à frente nas pesquisas eleitorais, concluo que a maioria dos brasileiros quer e gosta de ser governada por bandidos…

  6. Realmente, o futebol de Brasília é ruim por causa da falta de estádios, não porque não houve criação de vínculos (salvo por um breve período o Gama e o Brasiliense) e pela péssima qualidade.