ACESSE

Candidatos à Presidência da Câmara adotam cautela diante da reforma tributária de Guedes

Telegram

Parte dos pré-candidatos à sucessão de Rodrigo Maia — a eleição será em fevereiro do ano que vem — evitaram comentar a primeira parte da proposta de reforma tributária do governo federal, apresentada ontem por Paulo Guedes.

Os deputados Marcos Pereira (Republicanos) e Elmar Nascimento (DEM) disseram a O Antagonista que ainda não analisaram o texto. Arthur Lira (PP) ainda não deu retorno.

Aguinaldo Ribeiro (PP), que é relator da comissão mista da reforma tributária, limitou-se a dizer, no Twitter, que “o objetivo continua o mesmo: modernizar o sistema tributário com simplificação, transparência e justiça”.

Baleia Rossi (MDB) ocupou a tribuna, ainda ontem, para falar em “dia histórico” e “união de forças”.

O deputado Marcelo Ramos (PL) disse ao site que todas as propostas apresentadas até aqui “afetam o setor de serviços e poupam o sistema financeiro, o que demonstra que ainda não surgiu algo que efetivamente promova justiça tributária”.

O próprio Rodrigo Maia (DEM), que não desistiu completamente de continuar no comando da Câmara, fez ontem um discurso de conciliação ao receber a proposta de Guedes.

Leia mais: Exclusivo: a casa secreta de Brasília

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 4 comentários