Cantora Ludmilla acusa deputado bolsonarista de calúnia

A cantora de funk Ludmilla apresentou queixa contra o deputado federal Junio Amaral (PSL-MG) por tê-la chamado de “garota propaganda do tráfico”. Ela acusa o bolsonarista de calúnia, injúria e difamação.

Nas redes, Junio Amaral criticou a artista pelo videoclipe da música “Verdinha”, acusando-a por suposta apologia do plantio, a venda e consumo de drogas.

“Muitas vagas nos hospitais são ocupadas por viciados e por vítimas da violência gerada pelo tráfico. Milhões de famílias destruídas por causa das drogas e você incentivando essa desgraça. Esse lixo de música não é só mais um crime, mas uma ferramenta de tragédias no país… Se dependesse só de mim, legalizaria a rinha de maconheiro”, postou o deputado, em dezembro do ano passado.

Ele pediu ao Ministério Público Federal investigação contra a cantora por suposta incitação ao crime, mas o órgão arquivou a representação. Agora, ela quer abrir um processo criminal contra o deputado e o caso chegou ao STF.

“A Querelante [Ludmilla] jamais perpetrou qualquer das infrações penais que lhe foram falsamente imputadas por, simplesmente, compor e interpretar a música ‘verdinha’. Ao revés. Ludmilla, artista renomada, apenas exerceu a sua liberdade de expressão cultural, o que é amplamente assegurado pela Constituição”, dizem seus advogados.

A defesa pede que o processo tramite na primeira instância. Caberá ao ministro Luís Roberto Barroso decidir se o caso fica no STF, se considerar que os posts de Amaral têm relação com o mandato.

Leia mais: Exclusivo: o 'inquérito do fim do mundo' foi usado para apurar secretamente se a Lava Jato tinha ministros do STF na mira
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 53 comentários
TOPO