Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

'Capitã Cloroquina' sugeriu TrateCov quando ministério já discutia vacinação nos estados

Sugestão da criação do aplicativo que receitava remédios sem eficácia não consta das atas do Ministério da Saúde
Capitã Cloroquina sugeriu TrateCov quando ministério já discutia vacinação nos estados
Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado

Mayra Pinheiro, a ‘Capitã Cloroquina’, sugeriu a Eduardo Pazuello a criação do aplicativo TrateCov no mesmo dia em que o ministério realizou uma reunião sobre os planos estaduais de vacinação contra a Covid.

A informação consta de atas e listas de presença obtidas hoje por O Antagonista por meio da Lei de Acesso à Informação.

O aplicativo TrateCov, já desativado, recomendava remédios sem eficácia contra a Covid.

Na manhã de 6 de janeiro, parte da equipe do ministério realizou uma “Reunião sobre a elaboração do Plano estadual de operacionalização da campanha de vacinação contra a Covid-19”.

Reprodução/Ministério da Saúde/via LAI
Eduardo Pazuello disse à CPI da Covid que foi nesse dia que “a Secretária Mayra, quando voltou de Manaus, trouxe a sugestão de nós fazermos uma plataforma, uma calculadora que facilitasse o diagnóstico”.

Mayra não esteve na reunião sobre os planos de vacinação. Na tarde daquele dia, ela compareceu ao encontro sobre a “Missão Amazonas”, para apresentar ao ministério o relatório da visita ao estado.

Reprodução/Ministério da Saúde/via LAI
A sugestão sobre o TrateCov não consta da ata. Está escrito, contudo, que  foi “[i]dentificada fragilidade na organização da Rede de Atenção à Saúde do estado que necessita de apoio institucional”.

E mais: “Destaca-se que as mesmas fragilidades e necessidades identificadas durante a visita já haviam sido apontados no início da pandemia, em 2020, sem avanços organizacionais por parte do estado”.

O encontro entre ministro e secretária não consta da agenda oficial de nenhum dos dois. A agenda pública de Mayra para 6 de janeiro está vazia. A de Pazuello registra encontros com o presidente Bolsonaro, o ministro da Saúde da Índia e o governador do Amazonas.

Leia tambémMinistério sugeriu vacinas nos planos de saúde no mesmo dia em que foram incorporadas ao SUS

Leia mais: Assine a Crusoé e apoie o jornalismo independente.
Mais notícias
TOPO