ACESSE

Cara, não confio no Intercept, não

Telegram

O Intercept mexe nos arquivos supostamente roubados à Lava Jato.

Isso ficou provado hoje.

O dono do site, Glenn Greenwald, anunciou no Twitter novos ataques a Sergio Moro.

No print publicado em sua página – e que ele apagou correndo -, uma frase é atribuída ao procurador Ângelo Goulart Villela, preso em 2017.

Algum tempo depois, o site “corrigiu” o nome do procurador para Ângelo Augusto Costa.

Na versão final, ficou apenas Ângelo.

Se o Intercept pode mexer num nome, ele pode violar também qualquer outra parte dos arquivos, acrescentando ou eliminando frases.

É a prova de que essas provas são lixo.

Veja aqui o print de Glenn Greenwald:

E veja a versão final:

 

 

Hacker responde: é possível identificar os criminosos que roubaram as mensagens atribuídas à Lava Jato? Leia aqui

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 186 comentários