Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Cármen Lúcia inclui presidente afastado do Ibama em inquérito contra Salles

Ministra negou pedido de senador para afastar ministro do Meio Ambiente do cargo
Cármen Lúcia inclui presidente afastado do Ibama em inquérito contra Salles
Foto: Eduardo Guedes/Agência ALSC.

Cármen Lúcia incluiu o presidente afastado do Ibama, Eduardo Bim, no inquérito contra ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, que apura suposta proteção da pasta à extração de madeira ilegal na Amazônia.

O pedido de inclusão foi feito pela Procuradoria-Geral da República, após questionamento da ministra sobre sua ausência no requerimento inicial apresentado pelo órgão.

“As mesmas circunstâncias fáticas e jurídicas expostas justificam a inclusão de Eduardo Fortunato Bim nas investigações”, escreveu Cármen Lúcia.

Ela deu 30 dias para a conclusão da investigação e, na mesma decisão, rejeitou um pedido do senador Fabiano Contarato (Rede-ES) para afastar Salles do cargo. Afirmou que só a PGR pode fazer esse pedido.

“Não cabe a particulares sem relação com o processo o pleito de aplicação de medidas cautelares penais aos investigados”, disse.

Segundo o delegado Alexandre Saraiva, autor do pedido original de investigação, logo após a apreensão de toras avaliadas em R$ 129 milhões no ano passado, Bim requisitou da Polícia Federal informações sobre a investigação sobre a extração de madeira ilegal, objeto da Operação Handroanthus.

Mais cedo, como mostramos, Salles comunicou ao STF a entrega de seu celular à Polícia Federal. O aparelho será analisado dentro de outro inquérito, sob relatoria de Alexandre de Moraes, que investiga o afrouxamento de normas para a exportação de madeira.

Na investigação supervisionada por Cármen Lúcia, Salles é investigado por suposta prática de advocacia administrativa em favor de grupos que, segundo a PF, são organizações criminosas envolvidas na extração de 200 mil m³ de madeira apreendidos no ano passado.

Leia mais: Assine a Crusoé e apoie a o jornalismo independente.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO