CÁRMEN LÚCIA VAI DECIDIR

Julgamento da prisão de condenados em segunda instância caminha para um empate de 5 a 5, quando Gilmar Mendes e Celso de Mello finalizarem seus votos.

Ao que tudo indica, Cármen Lúcia, a presidente, terá de decidir — em fevereiro, ela votou pela prisão.

Faça o primeiro comentário