Cármen rejeita HC a Picciani

A ministra Cármen Lúcia julgou inviável o habeas corpus pedido pela defesa de Jorge Picciani que pretendia revogar a prisão preventiva do deputado estadual do Rio.

Picciani foi denunciado pelo Ministério Público Federal por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa em fatos apurados na Operação Cadeia Velha.

A defesa argumenta que prisão preventiva representa ‘manifesto constrangimento ilegal’ e que, por se tratar de parlamentar detentor de mandato eletivo, ‘afronta a Constituição da República e a do Estado do Rio’, que exige autorização legislativa para a prisão.

 

Temos uma chance única de começar a limpeza do Judiciário. LEIA AQUI

Comentários temporariamente fechados.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. Isso, Ministra! Mostre novamente que não é sócia da fabriqueta de HC, a qual tem operado moto perpetuo, com ou sem ajuda de senhas, deixando alguns encapados com fundilhos malcheirosos.

    1. Força, Ministra! Não ser confundida com o Quinteto da Morte, do qual quase foi vítima, é uma boa recomendação. Continue contanto com quem conta no País-Potência, repleto de capadócios.

Ler mais 24 comentários
  1. Isso, Ministra! Mostre novamente que não é sócia da fabriqueta de HC, a qual tem operado moto perpetuo, com ou sem ajuda de senhas, deixando alguns encapados com fundilhos malcheirosos.

    1. Força, Ministra! Não ser confundida com o Quinteto da Morte, do qual quase foi vítima, é uma boa recomendação. Continue contanto com quem conta no País-Potência, repleto de capadócios.

  2. Esse vagabundo tem que agradecer a boa vontade da justiça deixar ele ficar em casa, o certo, o correto seria ele apodrecer na cadeia, num presidio como qualquer condenado por roubar dinheiro público

  3. Ministra excelente decisão. Que todas elas sejam mais a favor do interesse coletivo do que do interesse particular. Diferencie-se de seus colegas nocivos a sociedade. O dia deles chegará.

  4. Aqui neste país a lei é variável de interpretação , e só favorece quem cai nas mãos do Gilmar ,Marco Aurélio e Levandowsky. Ah , e a juíza do Frota também , parcial e exagerada .