Carreiras do funcionalismo podem cair de 400 para menos de 10

A equipe econômica do governo estuda reduzir de 400 para menos de 10 as carreiras do funcionalismo público, informa a Folha.

Seria uma medida para facilitar a atuação transversal nos diferentes ministérios, reduzir custos de recursos humanos e simplificar a migração e a avaliação de desempenho de servidores.

Existe um projeto elaborado pelos economistas Armínio Fraga e Ana Carla Abrão e pelo advogado Carlos Ari Sundfeld que prevê reduzir o número de carreiras para oito. O governo estuda também outra proposta, que cria dois troncos principais, com diferentes níveis de progressão.

Jair Bolsonaro disse, durante estadia em Abu Dhabi: “Não queremos causar um trauma junto a servidores que, em grande parte, exercem um trabalho muito bom. [O governo] Não vai quebrar a estabilidade do servidor.”

Comentários

  • Brasileiro -

    Armínio Fraga, o cara de fuinha, é o serviçal do Soros que causou crise devastadora na Tailândia, destruidora de pessoas, para lucrar? De 400 para 10? Sem especialização? Vai dar muito certo (SQ

  • Marcelo -

    Boa notícia!

  • Zoksales -

    Se acabasse com a estabilidade resolveria pelo menos 1/3 dos problemas.

Ler 69 comentários