A ‘grampolândia’ do casal do lobby das MPs

O Antagonista obteve o documento que mostra como Mauro e Cristina Marcondes, além do lobby em Brasília, montaram um esquema de espionagem de autoridades.

Um caderno apreendido na casa de Francisco Mirto, da CVEM Consultoria, ligado ao casal, traz uma anotação que “causou grande perplexidade” à Polícia Federal.

“A apreensão causou grande perplexidade a esta Autoridade Policial já que evidencia uma faceta até agora não revelada dos investigados. Em um trecho que se refere ao dia 07/04/2010, Francisco Mirto registra que MIRTO, MAURO MARCONDES E CRISTINA MAUTONI investigaram o Excelentíssimo Procurador da República José Alfredo de Paula Silva naquele período”, escreveu o delegado Marlon Cajado.

No papel, está escrito: “MINISTÉRIO PÚBLICO DO DISTRITO FEDERAL / JOSÉ ALFREDO DE PAULA SILVA / VOLTA DIA 26 DE ABRIL / INVESTIGAR E INFORMAR A CRISTINA MAU / 3313-5460”.

Para Cajado, o registro revela “uma estratégia” de monitorar “os passos das autoridades”, inclusive “aspectos da vida particular”. “Em nossa opinião essa forma de agir é antirrepublicana” e um “ataque direto à ordem pública e às instituições”.

O procurador José Alfredo, que hoje integra a força-tarefa da Lava Jato, investigava a concorrência para a compra de caças da FAB. O casal de lobistas atuou na intermediação do negócio de US$ 4,5 bilhões com a sueca Saab.

Faça o primeiro comentário