Caso Aécio: “Há farto material probatório”

Carlos Alberto Carvalho de Vilhena, subprocurador da República, fala no julgamento de Aécio Neves na Primeira Turma do STF.

Ele relata que o senador recebeu 2 milhões de reais em dinheiro de Joesley Batista, em quatro parcelas semanais de 500 mil reais cada.

Os intermediários, segundo a PGR, foram Andrea Neves, irmã de Aécio, e Ricardo Saud, da JBS.

O subprocurador afirma que as negociações estão registradas “em áudio e vídeo”.

“Há farto material probatório.”

Temas relacionados:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 5 comentários
  1. Uma multidão se reune agora em frente ao STF pedindo a prisão de Aécio e olhe que o Antagonista nem fez proganda do MBL e VPR, imagine se tivesse feito, Brasília estaria tomada.

  2. Affs, STF deveria dar exemplo e não se juntar cm o quadrilhão!!!! Tá na hora do povo voltar pra rua !!! Gilmar Lula Mendes acabou de soltar mais um, esse Marco Lula Melo vai arquivar essa por… do Aécio e a PG dos infernos acabou de arquivar da Gleisi Lula …. eita quadrilhão difícil de combater . O jeito é voltar pra rua e chutar todos de lá !!!!!!!!

  3. Ok, vamos lá. Aécio é inocente.
    Mas, vamos ver. Se o ilustre é político desde sempre, percebendo sua renda por subsídios e outros penduricalhos, como é que ele pagaria os 2.000.000???
    Esse é o ponto meus caros. Esses senhores, políticos profissionais, não empreendem nada. São parasitas do estado brasileiro.
    Assim, do jeito que está, não tem sociedade que aguente.