Caso Aécio: “Não foi a PGR que induziu Aécio a praticar crimes”

Carlos Alberto Carvalho de Vilhena, subprocurador da República, refuta acusações da defesa de Aécio Neves de que as provas da delação da JBS não são lícitas.

O que houve, diz o representante da PGR, foi uma “atuação ilícita” de Marcelo Miller, que começou a trabalhar para a JBS antes de se desligar formalmente do cargo de procurador.

De resto, Carlos Alberto afirma que “não foi a PGR nem os procuradores nem mesmo os executivos da J&F que induziram o senador Aécio Neves a praticar o crime de corrupção passiva”, revelado nos áudios que constam nos autos, acrescentou o subprocurador.

“A gravação apenas registrou a conduta de Aécio, renovando um pedido feito antes por Andrea [Neves, irmã do senador], o que está longe de ser flagrante provocado.”

Temas relacionados:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

  1. Estranho mesmo é que não existe nenhuma ação para apurar a conduta ilícita desse
    Miller. O cara que tanto mal fez ao país sob a batuta de Enganot – e a troco de $$$,
    continua intocável (ambos, aliás). Cabe perguntar aos xucros todos: a isso chamam
    combater a corrupção?

Ler mais 5 comentários
  1. Estranho mesmo é que não existe nenhuma ação para apurar a conduta ilícita desse
    Miller. O cara que tanto mal fez ao país sob a batuta de Enganot – e a troco de $$$,
    continua intocável (ambos, aliás). Cabe perguntar aos xucros todos: a isso chamam
    combater a corrupção?

  2. Para Alberto Toron, o simples fato de o procurador ter ajudado Joesley com o acordo caracteriza ADVOCACIA ADMINISTRATIVA.
    .
    Para Carlos Kauffmann: “Se o procurador orientou o Joesley a fazer a gravação, isso se chama AÇÃO CONTROLADA e tem de ser comunicada à Justiça. Se houve orientação de Miller, a prova é ilícita porque nenhum juiz foi avisado dessa ação.”
    .
    Para Celso Vilardi, se houve na celebração do acordo algum vício, algo que macule o trato, ele é passível de anulação.
    .
    Para Soltoski Júnior, uma prova obtida a partir de uma ilicitude também é ilícita. No Direito, isso é conhecido como a doutrina dos FRUTOS DA ÁRVORE ENVENENADA – algo que é incorporado na legislação brasileira.

  3. O problema é esse, diz o empoeirado, descobriram o que não era para ser descoberto. Eu, o embrião empoeirado, tenho o direito de me desenvolver. Não posso ser abortado! Ordem, ordem retruca um togado que, finalmente, diz que a comissão de direitos humanos precisa ser consultada. Afinal, conclui o togado: embrião da mais alta estirpe tem o direito de se desenvolver. Alguem grita lá no fundo: mas e os pais desse embrião, não opinam? Silêncio sepulcral…

  4. MP defendendo os irmãos Batista bandidos, kkk!!
    Só mesmo esse MP esquerdopata para criminalizar um pré crime, não existe nenhuma prova de contra-partida.
    MP não pegou nenhum petralha, já Temer, Aécio e Bolsonaro…