Caso de polícia

Para Gilmar Mendes, presidente do TSE, a onda de criminalidade às vésperas da eleição de amanhã não tem nada a ver com a temperatura do primeiro pleito pós-impeachment. É caso de polícia mesmo.

“O Brasil está vivendo um quadro de insegurança pública”, afirmou à Folha. Mendes vai ao Maranhão hoje para verificar a situação, após os ataques a sete escolas nesta madrugada.