Caso Petrobras: Novo aciona CVM e diz não se tratar de fato inédito ou isolado

Caso Petrobras: Novo aciona CVM e diz não se tratar de fato inédito ou isolado
Foto: Adriano Machado/Crusoé

A bancada do Novo enviou um ofício à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) pedindo que a Câmara seja informada das investigações sobre possível caso de insider trading em operações de mercado envolvendo ações da Petrobras, na véspera do anúncio de troca do presidente da companhia.

Na justificativa do documento, obtido em primeira mão por O Antagonista, os deputados dizem que cabe à CVM “proteger os titulares de valores mobiliários e os investidores do mercado contra o uso de informação relevante não divulgada no mercado de valores mobiliários”.

Eles lembram também que a legislação vigente no país estabelece como crime “a utilização de informação relevante ainda não divulgada ao mercado que seja capaz de propiciar vantagem indevida, mediante negociação de valores mobiliários”.

A bancada do Novo relata os fatos recentes envolvendo a interferência de Jair Bolsonaro na Petrobras e diz que “o ocorrido não se trata de fato inédito ou isolado”.

“Situação similar, mas em data anterior, ocorreu em 11/04/2019. Na manhã daquele dia, quinta-feira, foi divulgado pela Petrobras que haveria elevação do preço do óleo diesel nas suas refinarias. No entanto, na noite do mesmo dia, foi anunciado pelo Presidente da República que a Petrobras iria desistir da sua decisão, já anunciada”, recordam os parlamentares.

Leia AQUI o documento.

Mais cedo, noticiamos que a Associação Brasileira de Investidores também pediu à CVM investigação no mesmo sentido.

Leia mais: Guedes e seu ideário foram inteiramente soterrados pelos planos de sobrevivência política do presidente da República e da sua própria reeleição
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO