ACESSE

"Casos de corrupção não podem ser tratados como crimes menores"

Telegram

Na decisão em que autorizou a operação de hoje que investiga o grupo que deu apoio à fuga de Dario Messer, o juiz Marcelo Bretas defendeu as prisões preventivas.

“Entendo que casos de corrupção e delitos relacionados não podem ser tratados como crimes menores, pois a gravidade de ilícitos penais não deve ser medida apenas sob o enfoque da violência física imediata.”

Bretas deixou claro que não se trata de um “decreto condenatório”.

“É certo que não há, por ora, um decreto condenatório contra os investigados, e a análise a ser feita em seguida sobre o comportamento deles é ainda provisória, mas o fato é que os crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa, como o narrado, devem ser tratados com a gravidade legalmente determinada. Note-se que são crimes praticados, via de regra, com a participação relevante de agentes públicos graduados, cujo desvio de conduta tem o potencial lesivo muito maior do que os crimes em geral.”

LULA ATACA. Leia aqui

Comentários

  • Luiz -

    Parabéns Juiz Bretas. Só queremos justiça. O Sr orgulha nossa nação.

  • Marlivone -

    Bretas no lugar de Gilmar Mendes, não custa nada sonhar

  • Massaaki -

    Perfeito, Bretas!!!

Ler 16 comentários