Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

CBF recorreu a Ciro Nogueira para tentar liberar partida entre Brasil e Argentina

Em relatório, o servidor da Anvisa Yunes Eiras Baptista afirma que CBF, Conmebol e AFA tentaram impedir que ele interrompesse o jogo no domingo
CBF recorreu a Ciro Nogueira para tentar liberar partida entre Brasil e Argentina
Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

O servidor da Anvisa Yunes Eiras Baptista, que interrompeu a partida entre Brasil e Argentina no domingo, disse, em relatório, que o presidente em exercício da CBF, Ednaldo Rodrigues, tentou colocá-lo em contato com o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, para garantir que a partida fosse realizada, diz O Globo.

Quatro jogadores argentinos descumpriram protocolos sanitários e foram retirados de campo. Eles apresentaram documentos falsos.

“Por volta das 16:45 – Fui abordado pelo Sr. Ednaldo Rodrigues – Presidente da CBF informando que estava em contato com a Casa Civil e se eu poderia falar com o Sr. Ministro Ciro Nogueira, neguei o contato e informei que se dirigisse à diretoria da ANVISA a qual me encontrava subordinado visto que se tratava de ação sanitária e legal”, diz Yunes, no relatório da agência.

O servidor cita que foi constrangido por funcionários da Arena e somente após insistência, com apoio de agentes da Polícia Federal, conseguiu entrar em campo.

Salientamos a falta de colaboração no cumprimento das medidas sanitárias, pelos envolvidos (CBF, CONMEBOL, AFA e os próprios jogadores de futebol), que aparentemente de forma deliberada obstruíram e constrangeram servidores públicos em cumprimento de ação em prol da saúde pública do povo brasileiro, com base na legislação brasileira vigente.”

Em nota, a CBF negou qualquer articulação neste sentido:

“O presidente da Confederação Brasileira de Futebol, Ednaldo Rodrigues, nega com veemência que tenha feito qualquer contato com servidores da Anvisa nos termos relatados pelo Relatório Complementar de Evento sobre o jogo entre Brasil e Argentina. Tampouco autorizou qualquer pessoa a falar em seu nome. O presidente da CBF não falou sobre esse ou qualquer outro assunto com o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, sequer tem seu contato telefônico”, informou a entidade esportiva.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO