Celso de Mello: incerteza sobre mensagens impede a soltura de Lula

Ao dar o voto decisivo contra a soltura de Lula hoje no Supremo, Celso de Mello disse que o ex-presidente já foi condenado em três instâncias e que não há certeza sobre a autenticidade das mensagens atribuídas a Sergio Moro em diálogos pelo Telegram com Deltan Dallagnol.

“O fumus boni iuris [fumaça do bom direito] está descaracterizado, quer pela existência de três títulos condenatórios, emanados no juízo de primeiro grau, do TRF-4 e do STJ; seja também especialmente quando se discute a questão da revelação de fatos e eventos por aquele portal The Intercept Brasil, pela própria iliquidez daqueles fatos”, disse o ministro.

“Em razão de seu conteúdo haver sido contestado pelo ex-juiz federal Sergio Moro quanto à sua autenticidade, havendo ele afirmado – correta ou incorretamente, não vem ao caso – que essa ‘disclosure’ dos dados poderia ter sofrido edição ou até mesmo adulteração”, completou em seguida.

"O propósito dos vazamentos é desacreditar a Lava Jato..." LEIA AQUI

Citou artigo do Código de Processo Penal que exige perícia de dados particulares e outro do Código de Processo Civil que impede o uso deles quando não se comprova sua veracidade.

Comentários

  • mivaadv@gmail.com -

    Decisão do Ministro Celso de Melo tem gosto de sabedoria. Jamais uma publicação de procedência duvidosa pode manchar a Lava Jato e a conduta de um juiz decente como Sérgio Moro.

  • claudio -

    sou um hacker mediunico, e tenho todas as mensagens do Gilmar Mendez, recebidos metafisicamente.....logo as irei publicar....

  • claudio -

    se o Lula fosse corajoso e nao um covarde como sempre foi teria se matado como fez seu companheiro de Peru, alias, muitos outros politicos foram presos na America Latina por conta do Odebrecth

Ler 143 comentários