Centrais sindicais insistem em auxílio emergencial de R$ 600

Centrais sindicais divulgaram nesta terça-feira (1º) uma carta aberta pressionando pela manutenção do auxílio emergencial em parcelas de R$ 600 até dezembro deste ano.

Como publicamos mais cedo, o governo de Jair Bolsonaro confirmou a prorrogação do “coronavoucher” até o fim de 2020, mas em parcelas menores, de R$ 300 por mês.

“Essa medida beneficiou mais de 65 milhões de pessoas, impedindo que caíssem na pobreza, criando uma proteção econômica para as famílias mais vulneráveis, bem como ajudou a sustentar o consumo de bens e serviços essenciais, em especial nas regiões mais pobres do país”, diz a nota assinada por CUT, Força Sindical e outras centrais.

Segundo o Agora São Paulo, a aposta dos sindicatos é pressionar parlamentares para que alterem a MP da prorrogação do auxílio quando ela for enviada por Bolsonaro ao Congresso.

Leia mais: Combo Crusoé e O Antagonista+: comece a ler por apenas R$ 1,90
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 40 comentários
TOPO