CEO da GE nega irregularidades e acusa concorrente

O principal executivo da GE na América Latina, Daurio Speranzini Júnior, negou em depoimento à PF ter participado de fraude a licitações no setor de saúde, registra a Folha.

Speranzini foi preso temporariamente na Operação Ressonância, que investiga fraudes em licitações na Secretaria de Saúde do Rio e no Instituto Nacional de Traumatologia desde 1996.

O executivo foi detido por fatos relacionados ao período em que trabalhou na Philips, até 2010. Ele disse haver “direcionamento nas licitações para empresas específicas, como a Siemens”, e alegou ter sido ameaçado ao tentar impedir esse esquema.

Speranzini afirmou ainda que o direcionamento nas concorrências do Rio tinha como objetivo beneficiar a empresa de Miguel Iskin –acusado de coordenar um esquema de corrupção de R$ 1,5 bilhão.

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

  1. Augusto disse:

    Alô Diogo Mainardi, diga-nos por quantas falcatruas a Philips já foi condenada aí na Europa. Vão de formação de cartel a uso não autorizado de tecnologia de outras empresas. Estamos importando modelos de falcatruas. Realmente é o fim!!!

Ler comentários