Cerveró foi pressionado pelo PMDB “a contribuir”

O delator Agosthilde Monaco disse à força-tarefa da Lava Jato que Nestor Cerveró “foi pressionado a contribuir com a quantia de R$ 400 mil por mês para a bancada do PMDB de Minas Gerais”.

O relato de Monaco está baseado em conversas com o próprio Cerveró, que acabou afastado da Diretoria Internacional “por não assumir este compromisso”. Segundo o delator, “lindinho” não lhe deu os nomes de quem o pressionou pela contribuição.

Mas, se a Lava Jato quiser, pode perguntar a Cerveró.

Faça o primeiro comentário