Cerveró Sociedad Anonima

Na última quinta-feira, depois de ser preso, Nestor Cerveró prestou depoimento à PF. Ele negou ter recebido propina na compra de Pasadena. Ele negou ter recebido propina na compra das sondas da Samsung. Ele negou ter recebido propina de 40 milhões de dólares da Toyo Setal, conforme denúncia da própria Toyo Setal. E ele negou que fosse o dono da Jolney Sociedad Anonima, a offshore uruguaia em cujo nome está registrado seu apartamento de 7,5 milhões de reais.

Dois dias depois, seu depoimento já é desmentido. A Veja, hoje, reproduz uma série de e-mails que tratam da abertura da Jolney Sociedad Anonima, alguns deles recebidos por Cerveró na própria BR Distribuidora. Num desses e-mails, um advogado consulta-o sobre a abertura de uma conta corrente bancária em nome da empresa. Em outro e-mail, nomeia-se o seu testa-de-ferro. Em outro e-mail, o advogado refere-se a Cerveró como “o dono da Jolney”.

Por mais que Cerveró, o dono da Jolney, negue ser Cerveró, o dono da Jolney, o fato é que ele está encurralado. Ou ele fala tudo o que sabe, ou nunca mais sairá da cadeia.


Nestor Cerveró na cadeia, segundo Hogarth