ACESSE

Cesar Benjamin contra Taís Araújo: 'Qualquer idiotice racial prospera'

Telegram

Cesar Benjamin, que aos 17 anos foi preso político no regime militar e depois se tornou um dos fundadores do PT, perdeu a paciência com o discurso da esquerda.

Hoje secretário de Educação de Marcelo Crivella no Rio, Benjamin escreveu um post no Facebook rebatendo Taís Araújo –em palestra recente, a atriz disse que a cor do filho dela “faz com que as pessoas mudem de calçada”.

“Nossa maior conquista –o conceito de povo brasileiro– desapareceu entre os bem-pensantes. Qualquer idiotice racial prospera. A última delas é uma linda e cheirosa atriz global dizer que as pessoas mudam de calçada quando enxergam o filho dela, que também deve ser lindo e cheiroso. Vocês replicam essa idiotice.”

Leia, abaixo, o post de Cesar Benjamin na íntegra.

 

Comentários

  • Fabio -

    A verdade e muito simples no Brasil todo mundo acha que o so a sua situação e que importa. E um povo desunido, sempre foi, tudo e mimi aqui agora, tudo que nao e problema meu e chato. Mesmo que no futuroproblema venha bater na sua porta. Tudo e levado ao lado pessoal esse senhor se acha. Assim como ela tb.Ninguém se preocupou com inclusão social na época do fim do império e no incio da república.Ninguém se preocupou os grandes intelectuais da época queria so usar os negros. Queriam perto mas nao tao perto por isso favelas que temos hoje. Então esta ai o racismo hoje e moda e o vitimismo tb. Quem acha que nao e problema seu morre porque temos uma geração sem perspectiva e com ódio da sociedade. E algumas que fingem se importar.

  • fim -

    Por aqui, o vitimismo racialista apelativo e anacrônico. Nos EUA e na Europa, o vitimismo feminista oportunista e extemporâneo.

  • sal -

    Essa senhora da elite carioca foi demitida do programa "Saia Justa" porque é chata, com baixo nível intelectual e que consegue irritar a gregos, troianos e brasileiros de todos os rincões do país. Tchau, querida. Vai lamber sabão. Pior que ela só a novela Do outro lado do paraíso, do irascível Walcyr Carrasco, onde o mimimi enche o s.aco do primeiro ao último bloco. Aliás, o sobrenome do dito cujo expressa bem o que ele faz com os telespectadores da novela: injeção de tortura e mais tortura do dito "politicamente correto". Que também vá lamber sabão. Tem mais gente global no chororô em cima do racismo. Leandra Leal e Bruno Gagliasso são dois belos exemplos. Se acham porque adotaram filhas negras. Bom exemplo vem de Angelina Jolie, que adota filhos de meio mundo e foge dos holofotes.

Ler 126 comentários