'Ceticismo' e 'egoísmo' atrapalham debate sobre clima, diz Barroso

Ceticismo e egoísmo atrapalham debate sobre clima, diz Barroso
Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

Segundo o ministro Luís Roberto Barroso, as mudanças climáticas e o aquecimento global são as questões ambientais mais urgentes do mundo. Mas “uma mistura de ceticismo com desconhecimento” e “certo egoísmo inato na condição humana” atrapalham a busca de soluções.

Barroso falou hoje na abertura de audiência pública no Supremo sobre um processo que pede ao tribunal que obrigue o governo a liberar o dinheiro do Fundo do Clima.

De acordo com o ministro, “o tema da mudança climática e do aquecimento global é uma das questões definidoras do nosso tempo”.

Mas, segundo ele, há “dois problemas que afetam as soluções”.

“Em primeiro lugar uma mistura de ceticismo com desconhecimento, apesar de a grande maior parte dos cientistas afirmarem peremptoriamente que esse é um grande problema e vem se agravando”, disse.

Já o segundo, continuou, “é que o impacto ambiental que se produz hoje só vai produzir efeitos reais e negativos sobre a vida das pessoas daqui a 25 anos, às vezes 50 anos. Portanto daqui a uma ou duas gerações, o que leva um certo egoísmo inato na condição humana a adiar soluções que são urgentes, porque, no fundo, elas não afetarão diretamente os nossos contemporâneos”.

Leia mais: Exclusivo: o 'inquérito do fim do mundo' foi usado para apurar secretamente se a Lava Jato tinha ministros do STF na mira
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 19 comentários
TOPO