Champagne contra o PMDB

Eduardo Cunha espalha que, no Palácio do Planalto, a denúncia contra ele “foi festejada antes de ser vazada. Mereceu um brinde de champanhe”.

É o que diz Josias de Souza, que acrescenta:

“Na mesma rodada de espumas, brindou-se no Planalto para celebrar o infortúnio do presidente do Senado, Renan Calheiros”.

O brinde palaciano