Champanhe na carceragem da PF

Marco Aurélio Mello liberou os bens de Marcelo Odebrecht, anulando decisão do TCU. Foram beneficiados pela medida outros três executivos do grupo enrolados na Lava Jato: César Ramos Rocha, Márcio Faria e Rogério Santos de Araújo.

O ministro usou o mesmo artifício para liberar os bens da Odebrecht e da OAS, recentemente: baseou-se em pareceres próprios derrotados em plenário em outros julgamentos.