Chanceler defende modelo chinês de agir 'sem pedir desculpas'

Em artigo publicado hoje pela agência Bloomberg, Ernesto Araújo criticou a ideia de que o Brasil deve se manter neutro para ampliar seus negócios e apontou a postura da China como exemplo para outros países.

“Ninguém respeita esse tipo de comportamento, e você não faz bons negócios quando não há respeito”, escreveu o chanceler brasileiro, conforme a tradução da Folha (o texto original é em inglês).

“A China defende, sem pedir desculpas, seu interesse nacional e sua identidade, suas ideias específicas sobre o mundo, defende seu sistema —e todos fazem cada vez mais negócios com a China”, acrescentou Araújo.

O ministro das Relações Exteriores também repetiu a afirmação de que Jair Bolsonaro não foi eleito para deixar a política externa como estava.

Comentários

  • Ronaldo -

    Como diz a velha modinha de Carnaval: Lá na China ninguém se chama João e o "china"come sentado no chão. E tem mais. O chinês tem muitos filhos porque "come" com dois pausinhos hé, hé, he.

  • Walter -

    Fazem negocios, pois o trabalho beira ao escravismo! Será q nosso pais vai, admirar essa postura e pior copiá-la? fim de direitos e do ministerio do trabalho, empresarios q abusam da lei?! Etc?!

  • Mauricio -

    A China pode por que tem poder, força política e econômica. Já o Brasil tem de ponderar muito, ter estratégia. Sair dando caneladas como tem feito é muito ruim.

Ler 158 comentários