ACESSE

Chefe de gabinete de Flávio diz que fazia 'visitas institucionais' à PF no Rio

Telegram

O chefe de gabinete de Flávio Bolsonaro, Miguel Ângelo Braga Grillo, disse hoje ao MPF que costumava ir com o senador fazer “visitas institucionais” à Polícia Federal no Rio, quando Flávio era deputado estadual.

No depoimento, obtido pela TV Globo, o coronel Braga disse que se lembra de três visitas. Em uma delas, foi com Flávio à PF ajudar a chefe da segurança da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) a conseguir porte de arma.

Braga prestou depoimento no dia 10 de junho na Operação Furna da Onça, que investiga o vazamento de informações sigilosas sobre investigação contra Flávio Bolsonaro por rachadinha com salários de assessores na Alerj.

No depoimento, Braga disse não se lembrar se foi ou não à sede da PF no Rio na primeira quinzena de outubro de 2018, entre o primeiro e o segundo turnos das eleições de 2018.

Segundo o empresário Paulo Marinho, ex-coordenador da campanha de Jair Bolsonaro, foi nesse período que Flávio e assessores se encontraram com um delegado da PF e foram avisados que uma investigação havia chegado ao ex-PM Fabrício Queiroz.

Segundo as investigações da Furna da Onça, Queiroz era o operador do esquema de rachadinha dos funcionários do gabinete de Flávio na Alerj. O ex-PM chegou a ser preso em junho, mas foi solto pelo presidente do STJ, ministro João Otávio de Noronha.

Leia mais: O filho 01 de Bolsonaro na mira da Justiça. Clique para saber mais

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 14 comentários