Cientistas políticos da UnB traçam estratégias para Bolsonaro

O Globo conta que dois cientistas políticos da UnB (Universidade de Brasília), Antônio Flávio Testa e Paulo Kramer, integram um grupo que ajuda a traçar estratégias para a chapa de Jair Bolsonaro e Hamilton Mourão.

O grupo, que surgiu por iniciativa dos generais Augusto Heleno e Oswaldo Ferreira, reúne-se periodicamente para discutir desde questões territoriais e indígenas à modulação do discurso sobre o golpe militar –segundo eles, um “contragolpe” à ofensiva comunista em 1964.

“É um grupo de voluntários, que colabora com Bolsonaro. (…) Não há ideologia, mas envolvimento com quem tem projeto de Brasil. Eu não sou de esquerda nem de direita. E não considero Bolsonaro de direita nem Lula de esquerda. São dois pragmáticos”, disse Testa ao jornal carioca.

Bolsonaro conseguirá 'despetizar' a máquina pública? SAIBA MAIS AQUI

Kramer, por sua vez, afirma que dá “pitacos” para melhorar a mensagem do presidenciável do PSL.

“Qual a vantagem que [Bolsonaro] tem? Não é apenas estar em conformidade com o espírito da época; ele está em campanha desde novembro de 2014. Ele é a prova do sucesso de uma campanha permanente.”

Você quer saber quem é o homem que tentou matar Bolsonaro? Clique AQUI.

Comentários

  • Giusti -

    As pessoas q querem o bem do Brasil se aliam a Bolsonaro e fazem trabalho voluntário. E depois dizem q.o brasileiro não é solidário.

  • Marcelo -

    Kiss !! Bolsonaro e Mourão sabe do que se trata: keep it simple, stupid! Manter o que se fez até agora e conclamar ma cruzada contra o PT e o poste do bandido condenado preso Curitiba. Viva Bolsona

  • Gildo -

    Anotem: Bolsonaro vence no primeiro turno com 55% dos votos válidos.

Ler 70 comentários