Cinco anos para Marcelo Odebrecht

O Estadão, na sua ótima reportagem sobre as negociações entre Emílio Odebrecht e trupe e a PGR, no Windor Plaza, reforça que o jogo está duro para Marcelo Odebrecht:

“Os investigadores consideram que o caso do mais poderoso e rico dos executivos presos na Lava Jato deve servir de exemplo contra a impunidade. Exigem mais quatro anos de regime fechado para o ex-presidente da empresa, à frente da companhia entre 2009 e 2015, e responsável pela criação do setor de operações estruturadas – popularmente conhecido como departamento da propina. A meta dos advogados coordenados pelo criminalista Theodomiro Dias Neto, o Theo Dias, é convencer os investigadores de que o executivo já passou muito tempo na prisão e tentar reduzir a pena de reclusão para dois anos e meio – já descontado o ano e quatro meses cumprido na carceragem da PF de Curitiba.”

Faça o primeiro comentário