Cloroquina mata

Cloroquina mata
Reprodução/TV Brasil

A cloroquina mata.

Estevão Urbano, presidente da Sociedade Mineira de Infectologia, disse para o G1 que a maioria dos pacientes que ele atende em hospitais fez uso da receita bolsonarista contra a Covid-19, acreditando em sua eficácia.

“Vários pacientes que chegam em hospital já graves, maioria deles, em algum momento, fez a utilização de terapia precoce, seja ivermectina ou cloroquina, é muito mais comum que a gente acredita. A maioria dos pacientes que vão para UTI fizeram uso de medicamento.”

Ele citou um caso recente:

“Um homem de alto nível socioeconômico de BH, que começou com sintomas antes do Natal, não queria procurar o hospital pois confiava na ‘terapia precoce’ com o uso de cloroquina, ivermectina e doxiciclina. Ele fez questão de viajar com a família e encontrar com os pais idosos na festa de Natal, mesmo com diagnóstico confirmado para coronavírus. Ele se refutou a procurar ajuda médica, pois fazia uso dos medicamentos e acreditava neles.”

O homem morreu alguns dias depois.

 

Leia mais: Assine a Crusoé, a revista que não tem medo de apontar os verdadeiros culpados pelas mazelas brasileiras.
Mais notícias
TOPO