CNJ investiga juiz suspeito de vender sentenças

O corregedor nacional de Justiça, Humberto Martins, abriu procedimento para investigar o juiz federal Leonardo Safi de Melo, titular da 21ª Vara Cível de São Paulo.

Alvo da Operação Westminster, ele foi preso no último dia 30 e é suspeito de cobrar propina para liberar pagamento de precatórios. Num dos casos, o valor liberado era de R$ 700 milhões.

“Considerando o teor dos fatos mencionados, faz-se necessária a instauração de procedimento prévio de apuração para verificação de eventual violação dos deveres funcionais por parte de membro do Poder Judiciário”, despachou o ministro.

Leonardo Safi foi preso junto com o diretor da secretaria da 21ª Vara Cível do TRF3, um perito judicial e três advogados.

 

Humberto Martins pediu à presidente do TRF-3, desembargadora federal Therezinha Cazerta, o compartilhamento das provas colhidas no inquérito.

A defesa do juiz deverá prestar informações em até 15 dias sobre o caso ao Conselho Nacional de Justiça, onde tramitará a apuração.

Leia mais: A estratégia de Bolsonaro para chegar ao fim do mandato
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 16 comentários
TOPO